Capa do livro o último abraço

O Último Abraço – Uma história real sobre eutanásia no Brasil

Título: O último abraço – uma história real sobre eutanásia no Brasil
Título Original: O último abraço – uma história real sobre eutanásia no Brasil
Autor: Vitor Hugo Brandalise
Ano de Publicação Original: 2017
Ano de Publicação no Brasil (esta edição): 2017
Editora: Record
Número de Páginas: 140
Gênero: Reportagem / Fatos Reais

Capa do livro o último abraço
Foto: Barbara Filippini

Resenha por Barbara Filippini

Esse é um dos livros que pedi na parceria com o grupo Editorial Record! Assim que chegou eu já devorei! Ele é um livro pequeno, de 140 páginas, mas excelentíssimo! Dentro do gênero reportagem o autor busca nos informar sobre a história de um casal que ficou conhecido como “Romeu e Julieta da terceira idade”. É uma história comovente e também serve de alerta para um assunto que tem muito a ser discutido no Brasil: a eutanásia. E mais, joga luz sobre um tema ainda tabu nas conversas: o suicídio.

Quase todos nós temos alguém que amamos muito e, inevitavelmente, por vezes nos pegamos pensando em como será a velhice e a morte dessa pessoa. Então, quando o vulto da morte começa a se materializar nas cercanias é difícil acreditar que o momento chegou. Esse livro traz a história de um casal que trabalhou muito a vida inteira, criou três filhos e agora, quando pensa em viajar e aproveitar a velhice, a saúde de ambos piora a olhos vistos. Nelson, o marido, pai e avó, não consegue aceitar que a vida se foi levando a saúde de sua esposa e também a sua.

Síndrome de Guillain-BarréA que mais sofre nesse ínterim é a esposa, Neusa, pois sua saúde decaí muito após um primeiro AVC e uma posterior queda decorrente das consequências que trouxeram falha motora. Mas não se pode dizer de forma alguma que Nelson também não sofre junto à esposa. Ele, que possui um dos braços quase inutilizado por uma possível Síndrome de Guillain-Barré não pesquisada e não tratada, chora por perceber que nada pode fazer para a melhora da esposa. Depois de muito sofrer ao longo de seis anos acompanhando a mulher acamada, a qual implorava pela morte, Nelson tem a ideia de matar a si e à esposa junto – e isso com o consentimento da própria. Para isso confecciona uma bomba caseira para dar cabo ao plano: colocar a bomba entre o último abraço dos dois. Para saber o decorrer dessa história você tem que ler o livro! Não vou dar mais detalhes porque estaria contanto para vocês as informações que fazem do livro uma leitura interessante e que puxa o leitor.

Mas posso trazer alguns questionamentos e informações acerca da eutanásia e do suicídio no Brasil.

A discussão sobre eutanásia em nosso país está longe de ter um esclarecimento total. A eutanásia é definida por direito de matar ou morrer por determinada razão ou então o direito de acabar com uma vida que apenas se mantém em sofrimento, direito de proporcionar uma morte sem dor.
eutanásia significado
A ignorância das pessoas acerca do assunto e também a falta de disseminação da informação leva à ideias errôneas do que viria a ser eutanásia e outros termos coligados à ela. Na maioria dos casos o que se quer é que não haja o prolongamento desnecessário da vida denominado distanásia, mas sim que ocorra a ortotanásia, que é a morte natural sem interferência da ciência em casos incuráveis e sem persistência terapêutica em pacientes irrecuperáveis. Para quê prolongar a vida se ela já não é mais saudável e feliz? Se apenas há dor e sofrimento?

Atualmente, tem-se em conta a ideia de medicina aliada à cuidados paliativos. Os cuidados paliativos são administrados de modo à que o paciente não sinta dor e possa viver o restante de sua vida confortável, mesmo em casos de doenças incuráveis ou intratáveis. Desse modo, dá-se um tratamento digno ao paciente, que pode escolher os métodos a serem utilizados, e também à família que não sofre tanto com intervenções desnecessárias. Nos casos em que o paciente não consegue se comunicar, a família pode ainda escolher pelos métodos paliativos para que o doente não sinta dor.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) o objetivo dos cuidados paliativos é “alívio do sofrimento e da dor, possibilitando a qualidade de vida”. (Você pode saber mais no site da Academia Nacional de Cuidados Paliativos clicando aqui).

O autor traz também na obra outros questionamentos acerca do suicídio por idosos e locais do mundo em que a eutanásia é permitida. Vale a pena ler! Deixo aqui uma citação, que o autor usou na obra, do livro “O Mito de Sísifo” (Albert Camus). Livro que trata sobre a questão do suicídio.

Matar-se, em certo sentido e como no melodrama, é confessar. (…) Trata-se apenas de confessar que isso ‘não vale a pena’. Viver, naturalmente, nunca é fácil. Continuamos fazendo os gestos que a existência nos impõe por muitos motivos, o primeiro dos quais é o costume. Morrer por vontade própria supõe que se reconheceu, mesmo instintivamente, o caráter ridículo desse costume, a ausência de qualquer motivo profundo para viver, o caráter insensato da agitação cotidiana e a inutilidade do sofrimento”.

SOBRE O AUTOR – VITOR HUGO BRANDALISE

Vitor Hugo BrandaliseNasceu em Videira (SC), em 1984, e vive em São Paulo. É jornalista, mestre em Comunicação pela Universidade de La Corunã e trabalhou como repórter no caderno Aliás e na editoria Metrópole de O Estado de S. Paulo, além de editor da revista internacional GQ. É vencedor de oito prêmios nacionais e internacionais de reportagem, entre eles o Petrobrás de Jornalismo 2013 e o Vladimir Herzog 2016. É também autor do livro “O Theatro Municipal de São Paulo: histórias surpreendentes e casos insólitos” (Senac, 2013). (Informação biográfica retirada dessa edição lida; foto: google imagens).

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s