Livro Coraline (Neil Gaiman) - Foto: Barbara Filippini.

O Mundo Sombrio de Coraline

Título: Coraline
Título Original: Coraline
Autor: Neil Gaiman
Ilustrações: Dave McKean
Tradução: Regina de Barros Carvalho
Ano de Publicação Original: 2002
Ano de Publicação no Brasil (esta edição): 2003
Editora: Rocco (Selo Jovens Leitores)
Número de Páginas: 159
Gênero: Literatura Infantojuvenil

Resenha por Barbara Filippini 

Livro Coraline (Neil Gaiman) - Foto: Barbara Filippini.
Livro Coraline (Neil Gaiman) – Foto: Barbara Filippini.

Neil Gaiman é amplamente conhecido pelo gênero terror com um toque de sobrenatural – aura de leitura que ele consegue infligir muito bem no leitor. Junto ao ilustrador Dave McKean ele cria maravilhosas viagens literárias. Coraline não ficou de fora dessa gama do macabro. É de leitura fácil e relativamente curta com suas 159 páginas, porém não se deixe enganar: a história consegue deixar quem o lê preso à trama sem vontade de soltar.

Coraline nos dá a sensação de “já vi isso antes”, porém com um toque de novidade que o torna único. A sensação de conhecimento prévio se deve ao fato da obra passear pelo universo de Alice no país das maravilhas, Nárnia e até mesmo pelas linhas de Terry Pratchett (conheça um pouco do Terry aqui e aqui) – mas não quero dizer com isso que ele cite ou se utilize dessas histórias, mas sim pelo fato de também trazer o fantástico de forma maravilhosa ao leitor.

Coraline descobre uma porta inutilizada na casa que vai morar. Aparentemente a porta é fechada por tijolos, mas depois ela percebe que a porta a leva para uma outra versão da sua própria casa – versão esta, a primeira vista, melhor. Quase um mundo paralelo. Lá ela também encontra seus outros pais, versões “melhoradas” dos seus pais verdadeiros, eles têm botões nos olhos e são mais divertidos, fazendo tudo que ela quer. Só que as coisas começam a se tornar meio estranhas…

O livro é classificado como infantojuvenil, mas pode ser lido por todas as idades. A principal lição ao se tirar dessa história de terror para crianças é: nem sempre ter tudo que queremos é algo bom e que perseverar e seguir em frente por nós mesmos e por quem amamos é uma das coisas mais belas da vida. Já para os adultos existem algumas coisas que podem ser pensadas subliminarmente…

“- Porque – disse ela – quando você tem medo e faz mesmo assim, isso é coragem.” P. 59

Essa história também foi transformada em filme, quadrinhos e jogo eletrônico. O filme, no formato de animação stop-motion, foi lançado no início de 2009 pela focus features e dirigido por Henry Selick, tendo sido aclamado pela crítica. Teve como dubladores Dakota Fanning (para o papel da Coraline), Teri Hatcher, Dawn French, Jennifer Saunders e Ian McShane. O orçamento foi de 60 milhões de dólares. Já a história em quadrinhos foi feita pelo ilustrador P. Craig Russell.

O filme muda alguns aspectos em comparação ao livro. A aura de terror está muito mais presente na obra escrita que no stop-motion, que acaba por tornar Coraline um pouco mais simpática, além de ter um apelo mais infantil e descolado da realidade. No livro a sensação é mais no sentido de extensão da realidade, deixando a impressão de que realmente poderíamos abrir uma porta secreta em algum lugar e nos depararmos com esse tipo de “upside down” (mundo paralelo).

Outros aspectos deixados em suspenso no filme, e também no livro, são assustadores e sombrios. Há ao longo da história um gato preto, que supostamente ajuda Coraline, que deixa claro que os gatos são mais íntegros que os humanos e podem transitar entre mundos, também afirma que os gatos não necessitam de nomes. Essa passagem ocorre no livro entre as páginas 41 e 42:

“- Gatos não têm nomes – disse.
– Não? – perguntou Coraline.
– Não – respondeu o gato -. Agora, vocês pessoas têm nomes. Isso é porque vocês não sabem quem vocês são. Nós sabemos quem somos, portanto não precisamos de nomes.
Havia algo irritantemente arrogante no gato, Coraline concluiu. Como se fosse, em sua opinião, a única coisa em qualquer mundo ou lugar que pudesse ter alguma importância.
Metade de Coraline queria ser rude com ele, a outra metade queria ser educada e respeitosa. A metade educada venceu.
– Por favor, que lugar é esse?
O gato olhou rapidamente ao seu redor.
– É aqui – respondeu.
– Isso eu posso ver. Bem, como você chegou aqui?
– Do mesmo modo que você. Eu caminhei – disse o gato – Assim.
Coraline observou o gato andar lentamente pelo gramado. Passou por trás de uma árvore e olhou por detrás. O gato havia sumido.
Coraline caminhou de volta para casa. Outro som sutil se fez ouvir por trás dela. Era ele.
– A propósito – disse – foi sensato da sua parte trazer proteção. Eu me agarraria a ela, se fosse você.
– Proteção?
– Foi o que eu disse – respondeu o gato. – E de qualquer modo…
Fez uma pausa e fixou o olhar em algo que não estava lá.
Então, abaixou-se e avançou lentamente uns dois ou três passos. Parecia espreitar um rato invisível. Virou o rabo abruptamente e disparou para o bosque.
Desapareceu entre as árvores.”

Ao final do filme, quando se pensa estar tudo bem e todos estarem felizes o gato aparece por cima de uma placa e passa para o outro lado do poste, sumindo.

Será que o mundo oculto e sombrio ainda está lá?

Cena do filme Coraline.
Cena do filme Coraline.

SOBRE O AUTOR – NEIL GAIMAN

neil gaiman foto perfilNeil Richard Gaiman nasceu em 1960 na Inglaterra. É autor de ficções, novelas, histórias em quadrinhos, teatro e filmes. Suas obras mais notáveis incluem “The Sandman” e as novelas “Stardust”, “American Gods”, “Coraline” e “The Graveyard Book”. Ganhou diversos prêmios incluindo Hugo, Nebula e Bram Stoker. Em 2013 o livro “O Oceano no Fim do Caminho” foi votado o livro do ano no British National Book Awards. (Foto: Google Imagens)

Para mais informações clique:
Site Oficial do Filme Coraline (em inglês) 
Trailer Oficial do filme (em inglês) 
Focus Features – empresa que lançou o filme (em inglês)
Você encontra o livro e a história em quadrinhos para venda no site da Amazon.

Uma opinião sobre “O Mundo Sombrio de Coraline”

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s