capa do livro puro andrew miller

Puro (Andrew Miller)

por Barbara Filippini 

Título: Puro
Título Original: Pure
Autor: Andrew Miller
Ano de Publicação no Brasil (esta edição): 2015
Editora: Bertrand Brasil
Número de Páginas: 375

Leitura muito tranquila no começo, porém acabou se tornando um pouco maçante depois. Então interrompi por dois meses e depois retornei para finalizar de vez. “Puro” é o sexto livro do autor inglês Andrew Miller e vencedor do Costa Book Award. Antes de começar a tecer comentários sobre o que eu achei do livro, primeiramente segue a sinopse:

“Paris, 1785. Jean-Baptiste Baratte, um jovem engenheiro de origem modesta, recebe de um dos ministros do rei Luiz XVI uma missão desafiadora: livrar-se da igreja e do cemitério de Les Innocents. O cemitério vem acumulando corpos há séculos, chegando ao ponto da população vizinha sentir o gosto dos cadáveres na comida e na água. Respiram a morte, têm seu cheiro, seu hálito. No começo, Baratte vê nessa empreitada uma chance de limpar o fardo da história, a tarefa perfeita para um homem moderno, do futuro, da razão. Mas logo ele percebe que a igreja e o cemitério são prenúncios de uma queda maior que está por vir. Os rumores de uma grande mudança que se aproxima ganham volume, e o povo se divide quanto ao trabalho de Baratte: ao mesmo tempo que a cidade já não suporta mais um cemitério que não para de receber corpos e não tem para onde crescer, é difícil aceitar a mudança e tirar de cena um dos marcos do passado monárquico. O engenheiro imagina que a missão seja ingrata, das mais desagradáveis, mas não faz ideia dos dramas e das calamidades que se avizinham e se concretizam conforme os ossos começam a emergir de seus séculos de descanso. E, com a agitação contra a corte de Luiz XVI se tornando cada vez mais insuportável, Baratte percebe que o futuro que planejara para si pode não ser mais o que ele quer de fato.”

E o que eu achei do livro? Esperava muito mais! Pelo aspecto histórico ele é interessantíssimo, mas, como trama, deixa tudo muito aberto e diálogos a serem explorados. Em certas partes da narrativa falta fluidez. A vontade de que algo mais aconteça é angustiante e quando se percebe que se está no fim do livro com tantas ausências de fechamentos bem feitos, é frustrante.

tour_img-258547-70.jpg
Catacumbas de Paris (Foto: Google Imagens)

Quanto aos pontos positivos: o começo da narrativa e a história em si são muito chamativos porque misturam, como o próprio autor elucida, “o real com o imaginário”. A história se passa em torno do esvaziamento do cemitério “Les Innocents” e a posterior levada das ossadas para as, ainda visitadas, “catacumbas de Paris” e também da destruição da capela próxima dali; dá para ter um vislumbre dos cenários de uma forma bem legal.Vale a pena conferir, apesar de ter deixado a desejar, pois a escrita é leve e a parte histórica interessante!

puro.jpg
Capa linda! (Foto: Google Imagens)

SOBRE O AUTOR – ANDREW MILLER

author-andrew-miller-at-h-007

Nasceu na Inglaterra em 1961 e é escritor. Estudou Literatura Criativa em 1991. Em 1995 obteve doutorado em Escrita Crítica e Criativa na Universidade de Lancaster. Por seu primeiro livro (“O Insensível”) recebeu três prêmios – dentre eles o Prêmio Literário Internacional IMPAC de Dublin. (Foto: Abbie Trayler-Smith)

Anúncios

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s