Amar, verbo intransitivo (Mario de Andrade)

Título: Amar, verbo intransitivo
Título Original: Amar, verbo intransitivo
Autor: Mario de Andrade
Ano de Publicação dessa edição: 2013
Editora: Saraiva
Palavras Chave: literatura brasileira / idílio

Resenha por Barbara Filippini

Fräulein, Carlos… principais nesse idílio primeiramente nomeado como romance cinematográfico por Mario de Andrade. Realmente o é. Várias cenas entrecortadas, digressões e enfoques que tornam o livro quase melódico. Fräulein, a professora de Carlos. Ela ama, ama de todas as formas, mas sempre incompletamente – é professora do amor, ensina-o, coloca-o na vida do menino em flor e então parte para outros ares, outros ensinamentos, outros meninos que dela precisam. O complemento do verbo “amar” dela sempre vem, mas sempre é incompleto, porque Fräulein (como exigia ser chamada) vai embora, deixando o amor que ela fez nascer se completar com outras pessoas junto aos seus meninos.

Elza (fräulein) é contratada pelo pai de Carlos, pertencente à burguesia paulistana do século XVIII, para que ensine o seu menino o que é amor. Ela, muito orgulhosa de sua profissão de professora do amor aceita ensinar a Carlos por oito contos. Fräulein chega à casa e ensina alemão à Carlos e às suas irmãs, mas é no horário de lições de Carlos, na biblioteca da casa que o amor dos dois se consuma. O idílio ali se faz, é um amor puro à sua forma. Fräulein se afeiçoa a Carlos, mas sua profissão é somente equilibrar, como ela mesmo diz, o homem do sonho e o homem da vida. Homem do sonho é muito bom, sonhador, quase perdido. O homem da vida é mais rígido, quase frio. Para isso ela ensina Carlos, o tempera nos gostos do amor, molda, um pouco mais de tristeza, felicidade, vontade e entusiasmo – o inicia na vida sexual.

Meu relato é quase superficial do tanto que se pode escrever sobre a obra e do tanto que ela foi estudada em artigos, filmes. Indico a vocês que leiam esta obra elaborada por Mario de Andrade com muito cuidado. Gostei de lê-lo, intrigante, instigante. Indico a leitura!

Edição de bolso Saraiva - foi por essa que li, muito bom!
Edição de bolso Saraiva – foi por essa que li, muito bom!

SOBRE O AUTOR – MÁRIO DE ANDRADE

mario-de-andrade

Mário Raul de Moraes Andrade nasceu em São Paulo, no Brasil, no ano de 1893 e faleceu em 1945. Foi, além de escritor e crítico literário, poeta, folclorista e ensaísta – tendo sido também um dos pioneiros da poesia moderna brasileira com a publicação de “Pauliceia Desvairada” (1922). (Foto do autor: google imagens)

2 opiniões sobre “Amar, verbo intransitivo (Mario de Andrade)”

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s