À primeira luz da manhã (Virginia Baily)

Título: à primeira luz da manhã
Título Original: early one morning
Autor: Virginia Baily
Tradutor: Paulo Afonso               
Editora:
 Bertrand Brasil
ISBN: 978-85-286-2182-2
Ano de publicação original: 2015
Ano de publicação desta edição: 2017
Número de páginas: 
350   
Palavras-chave:
 família / amor / 2ª guerra mundial
*exemplar cedido pela editora

Resenha por Barbara Filippini.

à primeira luz da manhã capa

“À primeira luz da manhã” fala sobre amor e família, mas também fala de separação e guerra. A mistura da suavidade das descobertas com o impacto da perda. Fala sobre a dor do viver com a esperança de que um dia melhor virá, esperando um novo respiro e a luz da manhã para dissipar a escuridão de um coração cheio de tristezas.

A história é subdividida de modo a intercalar um capítulo para os momentos vividos no passado e um capítulo para os acontecimentos presentes. O passado vai complementando o presente da escrita para então se enlaçarem no final. Abordagem interessante.

A imagem da Itália em guerra é mostrada no viés dos pequenos moradores rurais que sofreram com a falta de comida e moradia e a perda pessoas próximas para as frentes de luta ou para os campos de concentração. Eles realmente esperam que à primeira luz da manhã tudo melhore.

Monumento em homenagem a Anita, no Janículo em Roma. O escultor Rutelli retratou a fuga de Mostardas nesse monumento.

Monumento em homenagem a Anita Garibaldi, no Janículo em Roma. O escultor Rutelli retratou a fuga de Mostardas nesse monumento. Essa escultura é muito citada e tem parte na trama. Foto: Wikipedia.

Demora-se um pouco para tomar um fôlego de leitura bom, mas se dermos a chance o tempo dessa escrita se mostrará. Bem descritivo e envolvendo o leitor de modo a mostrar os detalhes e sentimentos em cena. Os pontos fracos foram: demora em deslanchar no tema em si e o final resolvido em uma página, depois de tanto de desvelar por centenas de páginas.

SOBRE A AUTORA – VIRGINIA BAILY

Virginia Baily

Nasceu em Yorkshire, mudando-se para Cardiff aos 7 anos. Formou-se na Universidade de Exeter, para onde retornou mais tarde para obter o Ph.D em Inglês. “Africa Junction”, seu primeiro livro, ganhou o prêmio McKitterick da Society of Authors em 2012.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *