Manicômio (Patrick McGrath)

Título: Manicômio
Título Original: Asylum
Autor: Patrick McGrath
Tradutor: Henrique W. Leão                
Editora:
 Companhia das Letras
ISBN: 85-7164-911-1
Ano de publicação original: 1996
Ano de publicação desta edição: 1999
Número de páginas: 
256   
Palavras-chave:
 Ficção Psicológica / Medicina / Manicômio

Resenha por Barbara Filippini.

manicômio patrick mcgrath capa

A época em que se passa essa história é a dos anos 50, em um hospital da Inglaterra. Inspiração que se dá em parte porque o escritor, que também é médico, morou próximo ao hospital psiquiátrico Broadmoor, no qual o pai dele foi diretor por um tempo.

Broadmoor atualmente está sendo aumentado e tem seu viés de tratamento sendo mudado. Primeiramente foi criado para ser um hospital para “lunáticos” em 1863. Com o tempo o hospital foi se tornando quase um complexo carcerário. Atualmente estão tentando reverter esse painel, querem que Broadmoor volte a ser um hospital com atendimento humano que envolva diversas práticas para com os doentes: incluindo arte e jardinagem. (Clique aqui para ver uma reportagem sobre o assunto no site da BBC)

Asylum for Criminal Lunatics, Broadmoor, Sandhurst, Berkshire. Printed in Illustrated London News 1867. (Domínio Público) manicômio

Asylum for Criminal Lunatics, Broadmoor, Sandhurst, Berkshire. Printed in Illustrated London News 1867. (Domínio Público)

broadmoor manicômio

Hospital Broadmoor.

Comparando a vida real e a ficção percebemos que o manicômio desse “romance” é bem parecido com Broadmoor. Podemos ver uma trama muito bem desenvolvida em cima de problemas psiquiátricos e a própria atuação dos psiquiatras tais como profissionais ou apenas como seres humanos tendentes à erros que todos nós somos. Além de, é claro, esmiuçar os problemas psicológicos/psiquiátricos dos personagens que passam por reviravoltas incríveis. Na história também conhecemos um paciente chamado Edgar Stark. Edgar é tratado por meio de psicoterapia, pelo médico Peter Cleave, e tinha acesso a trabalhos como jardinagem e arte, sendo ele próprio um escultor para além da doença. Edgar Stark foi preso neste manicômio após matar sua ex-esposa e ser diagnosticado como psicótico paranóico.

Os personagens principais desse enredo são o médico Max Raphael, vice-diretor da instituição, e sua esposa Stella e filho Charlie; o psiquiatra Peter Cleave e o seu paciente Edgar Stark. Sendo Peter muito amigo da família Raphael e também parceiro de trabalho de Max.

Max, psiquiatra, acaba de chegar ao manicômio, com sua família, para cumprir sua função de vice-diretor e, para tanto, aceita e até gosta da ideia de morar em uma casa vitoriana que fica no mesmo campo que o manicômio. As coisas começam a piorar quando Stella Raphael, achando e se sentindo estar sendo deixada de lado em sua vida marital, começa a se envolver com o paciente Edgar Stark, que estava em estágio de semi-liberdade e ajudava a cuidar do jardim dos Raphael.

O prolongamento disso tudo é narrado pelo psiquiatra amigo da família, Peter Cleave. Os pontos de vista usados são mesclados por depoimentos de Stella, Edgar e do próprio médico Peter. Os enredamentos acabam por se desenlaçar maravilhosamente bem com a escrita de McGrath. É um excelente livro para quem gosta de um bom drama/suspense médico.

Um estudo magistral do amor obsessivo, aquele que escapa a qualquer controle e empurra seus protagonistas, cada vez mais desesperados, para a tragédia que os engolirá” Literary Review

McGrath é um mestre em cujos romances reverberam os ecos dos mestres do horror, de Poe a Hitchcock e Brian de Palma. Um escritor de talentos múltiplos.” The New York Times.

SOBRE O AUTOR – PATRICK McGRATH

Patrick McGrath Manicômio Patrick McGrath nasceu em Londres, em 1950, e foi criado perto do hospital psiquiátrico de Broadmoor, do qual seu pai foi diretor médico por um longo tempo (Foto: autor em 2008 – fonte: google imagens).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *