O Homem que confundiu sua mulher com um chapéu (Oliver Sacks)

Título: O Homem que confundiu sua mulher com um chapéu
Título Original: The man who mistook his wife for a hat an other clinical tales
Autor: Oliver Sacks
Tradução: Laura Teixeira Motta
Ano de Publicação Original: 1970
Ano de Publicação no Brasil (esta edição): 2016
Editora: Companhia das Letras
Número de Páginas: 255
Gênero: psiquiatria / psicologia

Resenha por Barbara Filippini. 

Sacks é neurologista e nesse livro ele conta alguns de seus casos clínicos mais peculiares. Durante a leitura você se vê viajando pelos mistérios que o corpo humano esconde e, muitas vezes, se surpreende com doenças que podem causar as mais diversas manifestações (as quais nem se sonha que possam acontecer!). O autor torna a leitura de um tema tão difícil em algo leve e enriquecedor, tecendo as palavras como se em um romance.

“O Homem que confundiu sua mulher com um chapéu é a obra de um “cientista romântico”, de um neurologista que conserva a capacidade de se espantar diante do inusitado, diante de pacientes que, imersos num mundo de sonhos e deficiências cerebrais, preservam sua imaginação e constroem uma identidade moral própria. Em seus ensaios, Oliver Sacks transforma intencionalmente os relatos clínicos em artefatos literários, mostrando que somente a forma narrativa – com suas nuances imprevisíveis, seus detalhes dramáticos, os sofrimentos e experiências de personagens singulares – restituem à abstração da doença uma feição humana, desvelando novas realidades para a investigação científica e problematizando os limites entre o físico e o psíquico”

Eu me encantei com a leitura desse livro e em uma escala de 1 a 5, dei 5! Para quem se interessa em leituras sobre psiquiatria e psicologia é um boa pedida!

SOBRE O AUTOR – OLIVER SACKS

sacks_scourfield

Foto: Google Imagens

Nasceu em Londres, em 1933. Formou-se em medicina no Queen’s College e em 1960 emigrou para os Estados Unidos, prosseguindo os estudos médicos, e foi professor de neurologia clínica na Universidade Columbia. Com a publicação de “Enxaqueca”, em 1970, iniciou uma brilhante carreira de escritor. Seu livro “Tempo de despertar” inspirou o filme homônimo com Robert de Niro e Robbin Williams. Todos os seus livros foram publicados no Brasil pela Companhia das Letras. Morreu em 2015 aos 82 anos.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *